Notícias



24/09/2020
1ª QUINZENA DE SETEMBRO TEM RECORDE DE FOGO NO PANTANAL E NA AMAZÔNIA


O mês de setembro está apenas no meio e os números de queimadas e incêndios florestais na Amazônia e no Pantanal já registram recordes, mesmo com a proibição de queimadas imposta pela moratória do fogo desde 16 de julho, instrumento legal se mostrou completamente fracassado para deter o desastre ambiental. Na última segunda-feira (14), a Amazônia superou o total de focos de calor registrados em todo mês de setembro de 2019.


Somente nesses primeiros 14 dias, foram registrados 20.486 focos de calor, um crescimento de 86% em relação ao mesmo período do ano passado. No ano, já foram identificados 64.498 incêndios no bioma.


“Enquanto isso, na semana passada, mais uma vez, o governo – na figura do vice presidente – descredibiliza os dados do INPE, falando em diminuição das queimadas na Amazônia, negando as evidências científicas geradas pelo Instituto e divulgando um vídeo que foi o maior mico”, comenta Rômulo Batista, porta-voz de Amazônia do Greenpeace Brasil.


Já no Pantanal, maior planície interior inundável do mundo, somente na segunda, foram 689 incêndios registrados. No bioma, 12% da sua extensão já foi destruída pelo fogo até o final do mês de agosto, causando a morte de milhares de animais e fazendo outros milhões deles perderam seu habitat. Os 15.453 incêndios neste ano no bioma já é o maior da série histórica do monitoramento realizado pelo INPE, que começou em 1988.


“As imagens são chocantes. E, enquanto os brigadistas, bombeiros, militares e voluntários lutam para salvar o Pantanal, o presidente ri da situação que esse ecossistema único está vivendo em sua live semanal”, comenta Rômulo.


O Cerrado, savana mais biodiversa do mundo, é outro bioma que segue em chamas. Apesar dos números totais serem um pouco menor do que o ano passado, 5,45%, não há motivos para comemorar. Somente nos primeiros 14 dias de setembro foram registrados 13.619 focos, um aumento de 9,2% em relação ao mesmo período do ano passado. Somente neste ano, já são 37.824 incêndios e queimadas no bioma e não existe nenhuma ação governamental para coibir esse outro desastre ambiental.


Enquanto as autoridades brasileiras fazem um esforço de contrapropaganda para esconder o que de fato ocorre no Brasil, a verdade se impõe. As queimadas e incêndios florestais estão completamente fora de controle nos diferentes biomas.


“A responsabilidade disso é da política antiambiental do governo federal, com o falso discurso de que a destruição ambiental é necessária para o desenvolvimento econômico. Está na hora de todas pessoas, empresas e governos que estão realmente comprometidos com o futuro desses Biomas e também com o próprio planeta terra, exigir que o governo brasileiro tome providências para acabar com a destruição do meio ambiente e impedir que os maiores tesouros do nosso país virem cinzas para o lucro de uma pequena minoria”, completa Batista.



Fonte: Ciclo Vivo





(16) 3406-6864 - (16) 99266-9858

ecolixo@ecolixo.com.br

Av. Ministro Rui Barbosa, 1798

Vila Rezende Franca - SP

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS


CLASSE I (Perigosos) - CLASSE II (Não Inertes)

SAIBA CONTRATAR